RBS Magazine traz uma entrevista exclusiva com Luiz Alberto Wagner Pinto Júnior, engenheiro elétrico da HCC Engenharia

Image

A empresa é patrocinadora cultural do Fórum GD- Região Sul que acontece no próximo mês em Florianópolis

RBS Magazine: Nos conte um pouco sobre a história da HCC Engenharia e como ela atua no mercado brasileiro.

Luiz: A HCC é uma empresa de engenharia elétrica fundada em 2005. Desde sua concepção a empresa presta serviços de engenharia a grandes distribuidoras de energia do país, essa vivência com os padrões técnicos e legislação fez a empresa se consolidar nessa área tão importante do nosso sistema elétrico. Em 2014 a HCC iniciou suas operações com Geração Distribuída, mais precisamente no mercado de energia solar fotovoltaica. Ao longo desse período nos inserimos como uma empresa que levanta a bandeira do conhecimento e da divulgação de informação para ajudar a difundir essa tecnologia. Durante essa jornada implantamos grandes projetos, atualmente estamos com um volume acumulado de implantação próximo aos 20MW, em mais de 600 projetos. Em 2019 resolvemos ampliar nossa atuação comercial através de um modelo de franquias, a ideia é replicar o no know-how para o empreendedor que quer entrar no mercado fotovoltaico e possibilitar que o mesmo viabilize obras de grande porte, tornando seu negócio sustentável rapidamente.

RBS Magazine: Quais novidades a empresa traz para o setor de geração distribuída a partir painéis fotovoltaicos?

Luiz: A HCC está pensando em toda a jornada de transformação energética que estamos iniciando agora com a geração distribuída, a abertura de empresas regionais, com parceiros franqueados, possibilita que a empresa chegue em vários locais e fique mais próximo do seu cliente, nesse momento a implantação de projetos fotovoltaicos é o principal objetivo da HCC, mas em seguida, teremos: armazenamento de energia, repotencialização, manutenção, operação ilhada e comercialização de energia.

RBS Magazine: Como você considera o atual cenário do setor no país e quais suas expectativas para os próximos anos?

Luiz: Falando do mercado de GD teremos um grande desafio a superar com a possível adequação da legislação no sistema de compensação 482, e também a implantação da tarifa binômia. O quanto antes ocorrem essas mudanças, mais cedo teremos dificuldades, principalmente porque vivemos um momento de amadurecimento do mercado. Agora que estamos estudando o mercado Nacional para a implantação de franquias tenho observado que a difusão fotovoltaica é muito pequena, se considerarmos o país como um todo, nesse caso ainda há um grande movimento para realmente democratizar a energia solar fotovoltaica, que pode sim sofrer uma revés muito grande com o fim do net-metering. Mesmo num cenário de possíveis dificuldades, ainda teremos uma expansão grande nos projetos de GD e acredito muito que o sistema de armazenamento vem forte a partir do próximo ano, para realmente quebrar paradigmas no atual sistema de distribuição de energia elétrica e possibilitar a liberdade plena do consumidor.


RBS Magazine: A HCC Engenharia fornece cursos para instalação de energia solar. Nos conte um pouco mais sobre eles.


Luiz: A HCC oferece capacitação de forma a buscar parceiros que possam trabalhar na empresa, tanto na parte comercial como na parte de instalação. Com o aumento considerável da demanda é muito importante habilitarmos parceiros a trabalharem com a HCC para que consigamos atender com agilidade nossos clientes. Em toda nova franquia da HCC montamos um treinamento e buscamos parceiros potenciais para que possamos abrir novas frentes de trabalho possibilitando fluidez para a nova loja da HCC. Atualmente já capacitamos mais de 300 profissionais em todo Brasil e podemos nos orgulhar que mais de 100 trabalham diretamente ou indiretamente em nossos projetos.


RBS Magazine: A empresa é patrocinadora Cultural do Fórum GD - Região Sul este ano. Na sua visão qual a importância de eventos como este para o setor de Geração Distribuída do país e por que a empresa decidiu fazer parte desta história?

Luiz: Esse tipo de evento fortalece o setor, a reunião de grandes players do mercado possibilita um net-working fantástico, além disso, é uma oportunidade única para adquirir conhecimento e discutir pontos relevantes do setor. A ideia do evento ser regionalizado também possibilita um alinhamento mais local e oportuniza a democratização efetiva da informação.


Fonte: Portal Brasil Solar

Gostou do Conteúdo, Cadastre-se já e receba todas as notícias de BiomassaBR no seu email cadastrado

Compartilhe esta noticia: